SURF ÁS CEGAS

Já parou pra pensar em como funciona a sua visão? Agora, imagine surfar de olhos fechados. Ou melhor, surfar Pipeline de olhos fechados. Parece um desafio. Mas, pra quem tem água salgada correndo nas veias, é quase um detalhe inexistente. Prova disso é o capixaba Derek Rabelo, que mesmo sem enxergar decidiu realizar o sonho de surfar.

Vivendo além da visão, sua vida virou tema do filme Beyond Sight, recém lançado na gringa e ainda sem previsão de chegada em território nacional.

Pra entender como sua paixão pelo mar o move, a Evoke foi bater um papo com Derek.

Ficou curioso?

Derek-1

Evoke: Qual a sua relação com o mar?

Derek Rabelo: É o meu lugar preferido, é onde me sinto em casa.

EVK: Como você começou a surfar?

DR: Há uns 4 anos, fiquei em pé por alguns metros e gritei de emoção. A sensação foi de liberdade, e muita adrenalina.

EVK: Como foi a sua primeira onda?

DR: Foi amor a primeira remada.

EVK: Você surfou Pipeline. Conta pra gente como foi essa experiência.

DR: Treinei bastante com um amigo de Body Board. Um erro poderia tornar meu sonho um pesadelo. Foi um sentimento de apreensão e de liberdade ao mesmo tempo. Uma experiência única.

EVK: Estar no Havaí e surfar na mítica bancada havaiana. Como você se sentiu?

DR: Além de surfar Pipe, eu também quis conhecer o lugar. Me trouxe muita apreendizagem, além da oportunidade de conhercer e ficar amigo de muita gente. Também tiver o prazer de surfar com Kelly (Slater), que me deu muitas dicas.

EVK: Em que você se inspira? E no que?

DR: Me inspiro em Deus, esse é o meu maior ídolo. É uma coisa que vem de dentro. O surfe é um dom que Ele me deu.

EVK: Além do surfe você prafica outros esportes?

DR: Sim, ando de bike e já tem um ano que pratico downhill.

EVK: Você gosta de música? (Cite duas).

DR: Não sou muito ligado em música. Eu gosto de música boa.

 “A verdadeiras barreiras estão na nossa mente”.

Quer saber mais sobre o Derek?

Nascido em Guarapari, Espírito Santo, Derek foi diagnosticado com glaucoma congênito, que o deixou totalmente cego. Aos dois anos, ganhou sua primeira prancha de Bodyboard, e a praia virou seu quintal.  A coisa foi ficando séria na medida que a paixão pelo mar foi crescendo, e há quarto anos, Derek se tornou surfista profissional.

Derek-2

Unknown

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *