FAMIGLIA EVOKE # VIAJO LOGO EXISTO

Há algum tempo ouvimos falar sobre um projeto muito bacana que de cara despertou a nossa curiosidade. O casal Leonardo e Rachel Spencer tinham um plano audacioso: dar a volta ao mundo de carro – e assim surgia o projeto Viajo Logo Existo. Entramos em contato com eles e a conversa percorreu alguns bons quilômetros, começando em Machu Picchu (Peru), passando pela Colômbia, até chegar ao Panamá. O mais bacana foi ver que, ao longo dessa conversa, só rolou sinergia: o Viajo Logo Existo tem dezenas de amigos que já fazem parte da Famiglia Evoke; a Rachel e o Leo veem o mundo através das nossas lentes há bastante tempo – foi assim que o projeto chegou ao pé dos nossos ouvidos – e mais um monte de coisas em comum. Nada mais justo do que convidá-los a fazer parte da Famiglia também. Nós ficamos muito felizes com a parceria e, a partir de agora, vamos acompanhar bem de perto tudo que rola nessa viagem extraordinária.

Pra começar com chave de ouro, o casal conversou com a gente direto da Costa Rica. A Rachel contribuiu como porta voz e o Leo não deixou por menos: vide todas as imagens de tirar o fôlego. Eles também fizeram um vídeo especialmente pra gente, deixando a coisa toda ainda mais finesse. Confere no final da entrevista.

Leo e Rachel, bem-vindos à Famiglia Evoke!

Evoke – Como vocês dois se conheceram e há quanto tempo estão juntos?
Viajo Logo Existo – Nos conhecemos em 2006, quando éramos estagiários do banco em que trabalhávamos. Como fazíamos a mesma faculdade (PUC SP) íamos juntos para a aula depois do trabalho. Ficamos amigos por quatro anos até alguma coisa acontecer. Quando aconteceu, já virou namoro e nas vésperas da viagem virou casamento.

Machu Picchu – Peru

EVK – Como surgiu a Ideia do Viajo Logo Existo?
VLE – Bom, sempre tivemos planos de morar fora do Brasil, é uma paixão dos dois viajar e conhecer outras culturas. Isso era algo presente na nossa vida, mas que aconteceria no futuro, em cinco anos talvez, por conta do trabalho, juntar dinheiro… Quando descobrimos que era possível viajar de carro pelo mundo, que dava para acampar, etc., pensamos: porque não agora?

EVK – Como era a vida de vocês antes do projeto?
VLE – Nós dois trabalhávamos na tesouraria de um banco americano, o que chamam de mercado financeiro por aí. Tínhamos dias intensos, o Leo, por exemplo, tinha sete monitores na mesa dele, muitos números por todos os lados, mas sempre gostamos do trabalho. Além disso, o Leo já fotografava nas viagens e escrevia algumas matérias para revistas e sites. Pra ele foi uma coisa mais natural. Já eu, estava focado no trabalho e terminei meu MBA nas vésperas da viagem.

Cartagena – Colômbia

EVK – Qual é o tempo total estimado da viagem?
VLE – Três anos e meio e já se passaram seis meses!

EVK – Existe um roteiro certo?
VLE – Existe, mas ele é flexível. Para calcular custos precisávamos saber quantos quilômetros iríamos rodar, então fizemos um roteiro de cidade a cidade. Ele foi formulado na premissa de que se já íamos deixar o banco para fazer a viagem, então iríamos aproveitar e visitar tudo o que gostaríamos! Algumas coisas tiveram que ser cortadas, como as ilhas, pois o envio do carro é o custo mais alto da viagem.

EVK – Como foi se organizar para a viagem no que diz respeito ao aspecto financeiro? Rola algum patrocínio ou foi planejamento e poupança mesmo?
VLE – Essa é uma pergunta interessante. A viagem está sendo toda financiada por nós mesmos. Usamos todo o nosso know-how de anos no mercado financeiro e montamos um business plan super detalhado, etc. Estamos na estrada há poucos meses e continuamos em busca de parceiros que se identifiquem com o projeto. O dinheiro todo veio dos anos de trabalho no mercado financeiro. Sempre fomos bem organizados, juntávamos o máximo possível, guardávamos, mesmo sem ter a viagem em vista. No fim deu certo.

Bahía Inglesa – Chile

EVK – Como funciona a logística logo que chegam a um lugar novo?
VLE – É sempre novidade! Mas geralmente já estudamos onde vamos dormir, as coisas legais que queremos fazer e quanto tempo estimamos ficar por ali.

EVK – Qual foi o lugar mais bacana que vocês conheceram até agora?
VLE – Ahh, muito difícil eleger um só, porque a maioria das coisas que te impressionam são as que são muito diferentes das que você já viu. Mas o Deserto do Atacama e o Parque Torres del Paine, os dois no Chile, são realmente impressionantes, um espetáculo da natureza!

EVK – Qual foi o pior perrengue? Em algum momento vocês se sentiram desprotegidos ou com medo?
VLE – Em primeira mão hein: o pior perrengue aconteceu há algumas noites. Estávamos em um camping na cidade de Jaco, Costa Rica, e choveu muito forte, uma torrente. Na primeira uma hora a barraca já estava muito molhada por dentro e não tínhamos o que fazer, pois não dava para sair de tanta chuva. A chuva se estendeu por mais três horas e dormimos ali, encharcados. Uma noite longa… Em relação a segurança, o pior foi o roubo da mala de fotografia do Leo, que aconteceu no Chile. Não fomos ameaçados nem nada, só ficou aquela sensação de “poxa vida, como isso foi acontecer!?”

Argentina

EVK – Como era a relação de vocês dois antes e depois da viagem? Algo mudou?
VLE – Sempre fomos muito próximos e já tínhamos uma rotina de passar o dia juntos no trabalho, por mais que isso não fosse tão intenso. Acho que algo que não mudou e que estamos preservando muito bem é como já lidávamos um com o outro. Tomamos a decisão de estar aqui, então agora temos que aproveitar. Tem a rotina pesada de estarmos juntos o tempo todo e toda hora ter que tomar decisões, mas os lugares mudam, as pessoas mudam e tudo isso traz coisas novas.

EVK – Como fica a saudade da família, dos amigos, do Brasil?
VLE – Isso é o que mais mata! Tivemos um sobrinho que nasceu depois da nossa saída, mas pelo Skype vamos matando a saudade.

Vulcão Poas – Costa Rica

EVK – Como vocês conheceram a Evoke?
VLE – Pelos óculos de madeira! Ficamos impressionados com a qualidade e com a questão da empresa estar preocupada com o meio ambiente e fomos correndo conhecer um pouco mais sobre a marca.

EVK – Por que vocês acreditam que tenha rolado essa sinergia entre a Evoke e o Viajo Logo Existo?
VLE – Tem uma expressão que define a Evoke e que também define o VLE: “lealdade é o norte de nossas bússolas”. Acreditamos que o VLE é a realização de um sonho enfrentando todas as consequências de sermos leais ao que queremos das nossas vidas. Além disso, a Evoke conseguiu unir óculos e arte, assim como o VLE vem tentando unir viagem e arte através da fotografia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *